Brazil

  • huffpostbrasil.com
  • 14 hours ago

A Black Friday deste ano começou a todo vapor já na madrugada de hoje (24). Assim como o evento tradicional nos Estados Unidos, a última sexta-feira de novembro aqui no Brasil promete descontos arrasadores de até 80% nos mais variados produtos, desde comida a eletrodomésticos.De acordo com a Ebit, consultoria especializada em comércio eletrônico, a data deve movimentar mais de R$ 2 bilhões só no mercado online.Se você for aproveitar o dia para garantir as compras de fim de ano, é preciso prestar atenção em algumas dicas para não cair na "Black Fraude".Segundo o professor de Direito do Consumidor da LFG, Fabrício Bolzan, os direitos mais violados nesta época costumam ser a falta de informação adequada, de proteção contra práticas abusivas e de transparência contratual."O número de publicidades enganosas veiculadas ao longo do mês de novembro, assim como o registro de condutas comerciais abusivas, supera o limite do razoável", acrescentou Bolzan.Em casos de compras online, por exemplo, é preciso verificar se a loja realmente existe e quais as condições de compra. Para evitar dor de cabeça, cheque se ela está entre as empresas conveniadas com os promotores oficiais da Black Friday, neste site.Pagamento só por boleto? EviteO professor sugere fugir de sites ou fornecedores que oferecem pagamento apenas por boleto. "É uma prática comum que esse tipo de empresa acabe encerrando suas atividades sem dar explicações sobre o seu paradeiro, gerando prejuízo enorme ao consumidor, que quase nunca consegue recuperar o valor pago", explica. Neste caso, pagamento pelo cartão de crédito facilita o estorno em caso de pagamento indevido.É preciso lembrar também que se você fizer a compra online, é possível desistir dela nos próximos sete dias corridos, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor.Print na ofertaPara evitar diferentes condições ou pagamentos indevidos, o especialista aconselha dar um print no anúncio antes de adquirir o produto ou serviço. "É o melhor meio de prova para exigir, ainda que perante o Judiciário, o pagamento pelo valor correto ou o estorno da diferença em caso de cobrança indevida", destaca.O Código do Consumidor autoriza, aliás, o comprador a reaver em dobro a quantia paga a partir de uma cobrança imprópria. Desta forma, se a cobrança indevida foi de R$ 100, o consumidor terá o direito de recuperar R$ 200.No caso das lojas físicas, lembre sempre de testar produtos de mostruário e guardar panfletos, além de certificar-se quanto a garantia oferecida e direito a troca.O falso "imperdível"Não acredite em todas as propagandas que anunciam descontos de 70%, 80% e até 90%. O ideal seria pesquisar produtos em que esteja interessado semanas e até meses antes da Black Friday, mas se você não fez isso, alguns sites de monitoramento de preços servirão de muita ajuda.A própria Proteste - Associação dos Consumidores, por exemplo, vai disponibilizar um plug-in que mostrará a evolução dos preços. A associação oferece duas ferramentas: o "Mais Barato Proteste" e o link da Black Friday. "Em algumas ocasiões, o produto desejado custa mais barato fora desse período de apelo às compras", sinalizou a Proteste.Antes das compras, lembre-se dos boletosNão se deixe levar pelas ofertas tentadoras. Com a chegada do 13º salário, férias, festas de fim de ano e as despesas de início de ano, você deve pensar bem antes de contrair mais uma dívida. Se você já está apertado ou está inadimplente, tente fugir das tentações desta sexta.Se comprinhas extras couberem no orçamento, a melhor opção é pagar à vista e negociar um desconto, segundo a Proteste. Mas lembre-se: se você optar por este tipo de pagamento, peça sempre um desconto de ao menos 10%.Venda casada é contra o Código de Defesa do ConsumidorIndependentemente da data ou da megapromoção, a venda de um produto mediante a leva de outro produto é contra o Código de Defesa do Consumidor. O valor do "brinde" provavelmente já está incluído no preço.Caso presenciar alguma irregularidade na Black Friday ou se sentir enganado com alguma promoção, a orientação é denunciar aos órgãos de defesa do consumidor e do cidadão, como a Proteste, o Procon de sua região e até o Ministério Pública. "Assim, o consumidor não sai lesado e os maus fornecedores que forem denunciados e punidos não cometerem práticas abusivas nos próximos anos", orienta Fabrício Bolzan, professor de Direito do Consumidor.LEIA MAIS:Lindt, McDonald's, Burger King e mais: Promoções de comida parecem ser o melhor desta Black FridayMcDonald's vai ter refil de fritas nesta Black Friday8 direitos que você tem como consumidor para não esquecer nesta Black Friday

  • huffpostbrasil.com
  • 23 hours ago

Sabe aquela pessoa que chega com o pé sujo da balada e vai dormir desse jeito? Todo mundo tem um amigo tipo Cascão, que foge de água a qualquer custo. Mas essa família simplesmente ama relaxar em uma ducha ou se divertir no banana boat.Quando não é a vez de Finn tomar banho, ele fica apenas observando com inveja seu irmão porco-espinho relaxando numa "banheira de espuma".Hogwash🛁 💕 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ Bandana by @free.spirit.pups 💜 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ #hogwash #hedgehogs #hogybaby #cutepetclub #dogsandpals #dogsbeingbasic #animalsco #buzzfeedanimals #todayshow #dachshunds #thedodo #postmecutetv #videobyanimals #funbestvids #bestwoof #sausagedogcentral #hedgie #photos4ellen #insta_dogs #doxie #bathtime #cuteanimalsco #perro @petchannel @puppystagrams @bark @thatsbabyanimals @sniffandbarkens @cutepetclubA post shared by @mylesandwillows on Nov 21, 2017 at 2:26pm PSTMas Finn também tem seus momentos de glória. Ele é o verdadeiro mozão de Willows. Tomam banhos juntos, com direito à chamego e lambeijos.Ween Wash🚿 To use this video in a commercial player or in broadcasts please email [email protected] This is our official entry into @free.spirit.pups & @americandoxie 's Valentine's Day giveaway #sharethelovegiveaway2017 Hey @sweet_licks_greta , @charliebroon & @fritzthereddoxie You should check out this contest 🎉 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ #weenteam #animaladdicts #pupflix #barkbox #sausagedogcentral #thedodo #animalsco #fluffypack #mydogiscutest #topdogphoto #dachshundappreciation #animalnaturehq #puppiesforall #dogsbeingbasic #cutepetclub #wienerdogworld #igcutest_animals #petco #dachshunds #puppysketch #featuremydoxie #dogsandpals #chiens @dogs_of_world_A post shared by @mylesandwillows on Feb 3, 2017 at 5:33pm PSTE sempre que pode, a família inteira sai para passear de banana boat. Eles são muito responsáveis: nunca se esquecem das boias e dos óculos de sol para proteção.Watermelon Weens! Who wants to go tubing with us today?? 🍉💕 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ #bark #barkbox #dachshund #minidachshund #cutepetclub #sniffandbarkens #bestwoof #puppyscene #pupflix #dogsbeingbasic #dachshundappreciation #wienerdogworld #sausagedogcentral #weekendgoals #animalsco #postmecutetv #dogsandpals #outwardhound #dogsloversclub #cutevideo #9gagcute #puppiesmakemehappy #fluffypack #perrosdeinstagram #mydogiscutest #huffpostgram #weenteam #puppyswagA post shared by @mylesandwillows on Sep 30, 2017 at 9:58am PDTPara você que sempre teve vontade de praticar stand-up paddle, mas nunca conseguiu se equilibrar mais do que dois segundos na prancha, aprendam com Finn e o irmão porco-espinho:First person to sign up for my paddle board lessons is this hedgie!? 🏄 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ Bandana by @free.spirit.pups 💜💙💚 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ #hedgehog #dachshunds #weenteam #pupflix #videobyanimals #videomedia #9gagcute #beachvibes #paddleboarding #sausagedogcentral #dogsbeingbasic #bark #barkbox #thedodo #buzzfeedanimals #animaladdicts #animalnaturehq #outwardbound #sniffandbarkens #dogsamazingworld #dogsandpals #bestwoof #dogspupsworld #epicworldpix #fortheloveofpets #cutepetclub #mydogiscutest #perrosdeinstagram #dachshundappreciationA post shared by @mylesandwillows on Jul 8, 2017 at 2:14pm PDTEsses doguinhos e o porco-espinho são mesmo da vibe da natureza.LEIA MAIS:Esta bebezínea é a 'khaleesi' de nada menos que 8 huskys siberianosO curioso caso do cachorrinho que trocou seu melhor amigo por um pedaço de pizza

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

Em depoimento a CPI dos Maus-tratos nesta quinta-feira (23), Gaudêncio Fidélis, curador da Queermuseu, alertou sobre o perigo da retirada de uma obra de arte de seu contexto e explicou não falaria para construir um "consenso", mas "esclarecer e resgatar o real significado" das obras."O que causou o choque foi o fato de que as obras foram retiradas de sua verdade e foram colocadas em outra narrativa. E isso é mais complexo do que um simples 'fora de contexto'. Fico preocupado. Quando falo de retirada de contexto é o fato de que a obra é roubada de seu significado e um outro é atribuído a ela - nesse caso, a acusação de pedofilia e zoofilia", explicou Fidélis, curador da mostra Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte.A finalidade da CPI é investigar as irregularidades e os crimes relacionados as violências contra crianças e adolescentes no País. No entanto, o debate que prevaleceu na reunião foi sobre a influência que as imagens teriam na formação das crianças. Para Fidélis, é papel da arte incomodar o público."Quando eu falo em ferir sensibilidades eu não estou me desviando das perguntas. A arte não vai contentar a todos nós. A arte é um espelho, eu projeto nela as minhas crenças, preconceitos, disposições e indisposições com o outro. Essas obras são de natureza significativa e estão dispostas a discutir sobre nossa convivência e tolerância com o outro."O curador, ainda, aproveitou o espaço para trazer as outras possibilidades de interpretação de algumas das obras que geraram polêmica.Criança Viada"A obra da Bia Leite com a frase 'criança viada' sempre foi sobre o bullying contra as crianças LGBTs. Essa obra é uma denúncia e foi feita sob a perspectiva da comunidade LGBT. As frases não são nada menos do que os xingamentos que as crianças recebem quando são alvo de bullying. Mas é claro que quando nós chegamos a essa obra é um choque para todo mundo, porque você tem que enxergar essa violência e não há escapatória."Zoofilia"A obra da Adriana Varejão foi uma das que mais causou polêmica no processo da descontextualização. E todos nós fomos vítimas porque não fomos à mostra. Teve uma atribuição de zoofilia a um fragmento da pintura, que foi retirada do contexto, e que retira dela também o seu significado principal: a obra é sobre as mazelas da exploração brasileiras. E isso não é uma opinião minha, é um consenso da história da crítica de arte sobre essa obra."A QueermuseuA exposição contava com mais de 270 obras, entre pinturas, gravuras, fotografias, vídeos, colagens, esculturas e cerâmicas de nomes como Alfredo Volpi, Adriana Varejão, Cândido Portinari, Ligia Clark, Clóvis Graciano, entre outros.A mostrafoi viabilizada pela captação de R$ 800 mil por meio da Lei Rouanet e tinha como objetivo "explorar a diversidade de expressão de gênero e a diferença na arte e na cultura em períodos diversos."As obras foram alvo de protestos nas redes sociais e no local de exposição. Após as manifestações, a Queermuseu foi cancelada pelo Santander Cultural.LEIA MAIS:'Só se for no fundo do mar', diz Crivella sobre exposição 'Queermuseu' chegar ao RioCaso Santander-Queermuseum: O boicote como resposta liberal'Não tem certo. Não tem errado’: Este vídeo te mostra exatamente como a arte funciona

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

A galera no Twitter foi surpreendida na última terça-feira (21) por uma história protagonizada pelo Bruno (@brunhossauro).ligo um cliente aqui na loja "bom dia tudo bem meu nome é bruno" e eu respondi "ai o meu também!!!" eu perdi completamente a NOÇÃO — brunho (@brunhossauro) 21 de novembro de 2017Não demorou para que o relato caísse nas graças dos usuários e ganhasse mais de 20 mil curtidas em menos de 24 horas. O motivo do sucesso está provavelmente na referência por trás do relato de Bruno: um trote feito pela rádio Metropolitana, de São Paulo, no início dessa década que ficou muito famoso na internet. Ouça no player abaixo a famosa conversa com a Beth.A repercussão do tweet surpreendeu o próprio Bruno, deixando-o preocupado com seu futuro na "firma".esse tuite está ganhando atenção demais se alguém aqui da firma descobre q esse perfil eh meu eu entro novamente nos milhões de desempregado do brasil — brunho (@brunhossauro) 22 de novembro de 2017Mas talvez ele não precise se preocupar. A história só rendeu boas risadas na timeline (e fora dela).amiga eu contei esse relato pra minha mãe e ela ficou uns cinco minutos rindo vc é mto influencer — não sei se queria ser ou namorar o harry styles (@vtrmntnr) 22 de novembro de 2017Além de render boas risadas, a confissão acabou fazendo com que outros usuários da rede social compartilhassem histórias inusitadas que viveram logo após pegar o telefone do gancho.Eis as 7 melhores:1. Alô, pai!SOCORRO E EU QUE FUI ATENDER O TELEFONE DA LOJA E FALEI "ALÔ, PAI???" pensando que era no meu celular — rhana (@bazingastone) 22 de novembro de 20172. Que nome lindo.Uma vez o cliente falou "meu nome é Marcelo" eu disse "nossa, seu nome é o mais lindo". Quis morrer — Maria Marcela (@MarcelaCps) 22 de novembro de 20173. Um beijo!Migo já trabalhei loja e mandei beijo pro cliente no final da ligação. Levei uma bronca. Mas eu mando bj pra todo mundo no fim da ligação. Não foi por nada. t-t — Anne - boicote animas fantásticos (@sirenesereias) 22 de novembro de 20174. Não diga alô.quase que eu ja entendi falando ''não diga alô, diga como vai galisteu'' olhaa a louuuuuuuca — Dáphne (@DaphMRosa) 22 de novembro de 20175. ???Eu quando liguei pro SAC da Dell e o cara atendeu com "Atendimento Dell boa tarde, Bruno", e eu respondi com "Como você já sabe meu nome??" — bruno vaz (@brunotron3000) 22 de novembro de 20176. Beijo ou tchau tchau Se não manda beijo ou tchau tchau no final de uma ligação comercial nem mora no Brasil — Lorena Pinto (@xlorenaw) 22 de novembro de 20177. Quem nunca?Já atendi telefone de casa e celular com: empresa xxxxxx, Helen, bom dia. 😂😂😂😂😂 — Helen 💑❤💚 (@TheodoroHelen) 22 de novembro de 2017LEIA MAIS:10 vezes em que as dancinhas de Fátima Bernardes roubaram a cena no 'Encontro'Aqui estão todas as vezes em que Maísa fez questão de mostrar que é uma adolescente empoderada

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

O Supremo Tribunal Federal (STF) interrompeu nesta quinta-feira (23) o julgamento sobre o fim do foro privilegiado e abriu caminho para o Congresso dar a palavra final. O ministro Dias Toffoli pediu vista do processo. Não há prazo para retomar a discussão no STF.Nesta semana, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou a A PEC 333/2017, aprovada pelo Senado em maio, que mantem o foro apenas para os chefes dos três poderes da União (Executivo, Legislativo e Judiciário). A proposta do Legislativo é mais ampla do que a em discussão no Supremo, uma vez que acaba com o foro também para o Judiciário e para membros do Ministério Público.No Supremo, a discussão envolve a restrição de foro do atual prefeito de Cabo Frio (RJ), Marcos da Rocha Mendes. Ele responde a uma ação penal no STF por suposta compra de votos.Para o relator, ministro Luís Roberto Barroso, os detentores de foro privilegiado, como deputados e senadores, somente devem responder a processos criminais no STF por investigações de crimes durante o mandato. Em junho, quando havia quatro votos pelo fim do foro, o ministro Alexandre de Moraes pediu vista do processo. Na época, os ministros Marco Aurélio, Rosa Weber e Cármen Lúcia acompanharam Barroso.Para evitar que os detentores de foro que cometerem crimes durante o mandato renunciem aos cargos para escapar do julgamento, Barroso também sugeriu que, a partir da instrução do processo, a ação fique mantida onde estiver.Nesta quinta, Edson Fachin acompanhou Barroso e defendeu que o foro só pode valer para crimes cometidos após a diplomação para assumir o cargo. Também votou nesse sentido o ministro Luiz Fux.Moraes divergiu parcialmente do relator e propôs uma visão menos restrita do foro do que a proposta por Barroso. Ele defendeu que sejam investigados e processados no Supremo somente deputados e senadores que praticaram crimes durante o exercício do mandato. Ou seja, Moraes admite que também permaneçam no STF ações de políticos com crimes não ligados ao mandato.Já o ministro Toffoli lembrou que a discussão avançou no Legislativo e criticou a ideia de impunidade associada a oforo. "Este tema, nas discussões da sociedade, na imprensa, nas redes sociais ele reproduz um folclore, uma falsa ideia de que no STF não andariam as ações [contra políticos]", afirmou. O ministro afirmou que a mudança proposta por Barroso provocaria diversas dúvidas e pediu mais tempo para analisar o tema.Após o pedido de vista, o ministro Celso de Mello decidiu antecipar seu voto. "Os parlamentares devem esta submetidos às mesmas leis do que os demais cidadãos da República", afirmou. Dessa forma, sete ministros concordaram com uma mudança para adoção mais restrita do foro privilegiado.O que é foro privilegiadoDe modo geral, o foro privilegiado é a prerrogativa de ser julgado por um tribunal diferente ao de primeira instância, responsável pelos casos de cidadãos comuns. No Brasil, a extensão do benefício vai do presidente da República até comandante da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, chefe da Polícia Civil e vereadores.São 54.990 brasileiros com direito à prerrogativa, sendo 38.431 por determinação da Constituição Federal e 16.559 previstos pelas constituições estaduais, de acordo com a pesquisa Foro, prerrogativa e privilégio: Quais e quantas autoridades têm foro no Brasil?, dos consultores legislativos do Senado João Trindade Cavalcante Filho e Frederico Retes Lima.Após a aprovação na CCJ, a PEC segue para uma comissão especial, onde terá o prazo de 40 sessões plenárias para ser discutida. Na etapa seguinte, o texto vai para o plenário da Câmara, onde precisa de 308 votos, em dois turnos, para ser aprovado.LEIA MAIS:Comissão da Câmara aprova restringir o foro privilegiado aos chefes dos 3 poderesCâmara articula foro privilegiado para Temer e Lula

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

Banda com milhões de fãs em todo o mundo, o Marron 5, que passou recentemente pelo Brasil em dois shows no Rock in Rio, tiveram um dia de anonimato em Nova York.Ou quase isso.Alguns integrantes do grupo, acompanhados do apresentador Jimmy Fallon, se disfarçaram com perucas, chapéus e bigodes, no bom estilo "músicos de rua" e mandaram um som numa estação de metrô da cidade americana.Como era de se esperar, nos primeiros momentos ninguém deu bola para a trupe.O desapego do público durou pouco. Assim que Fallon anunciou que aqueles eram Adam Levine e cia, a emoção tomou conta dos presentes. A banda trechos de Crazy Little Thing Called Love, do Queen, e a autoral Sugar.O quadro do The Tonight Show foi ao ar nesta terça-feira (22).Veja no player abaixo:O Marron 5 está com álbum novo na praça. Red Pill Blues foi lançado no dia 3 de novembro e está disponível em plataformas de streaming.LEIA MAIS:Fãs de 'Animais Fantásticos' criticam presença de Johnny Depp na franquiaWilliam Bonner desabafa sobre críticas de fãs após flagra com a nova namorada

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

Cinco anos separam dois momentos épicos da TV.Momentos que ficaram ainda melhores depois que foram "abraçados" pela internet.Nesta quarta-feira (22), Sandra Annenberg, umas das jornalistas mais queridas do Brasil, teve uma reação ao vivo durante a apresentação do Jornal do Hoje que rendeu um enxurrada de memes nas redes.Aquele olhar qd vc descobre que tem uva passa no arroz #natal#uvapassa#sandraannenbergpic.twitter.com/prMJ1HUDPB — Bedtime stories (@thiagogb) 23 de novembro de 2017Estou perplexo, igual a Sandra Annenberg! https://t.co/9wAk0WaHROpic.twitter.com/kJU2ZFTyeK — DOUGLAS (@dodosilveira) 23 de novembro de 2017A Sandra Annenberg assustada é meu novo spirit animal pic.twitter.com/OmsagMC6SY — escrotassa (@neeedge) 23 de novembro de 2017Acredite, se você jogar o nome da apresentadora do Jornal Hoje no Twitter, por exemplo, vai se deparar com mil e uma montagens e comentários sobre o semblante assustado da jornalista que você viu acima.Sandra é carismática e tudo o que faz fora do habitual acaba repercutindo nas redes."Acho muito louco isso, ainda lido com surpresa. Tudo o que a gente faz, cai na rede. E, caiu na rede, é meme", já disse a jornalista numa entrevista ao site da TV Globo.Esse episódio pode superar o GRANDE MOMENTO de Sandra na internet, quando fez a famosa declaração durante um link ao vivo lá em 2011:A combinação de reação espontânea com repercussão nas redes traz uma difícil questão a ser resolvida: qual é o melhor meme de Sandra Annenberg na internet?A seguir, você acompanha detalhes das duas ocasiões que fizeram a apresentadora virar assunto nas redes e tem a chance deixar seu voto para solucionar esse grande problema.Independente dos votos, Sandra será para sempre querida em nossos corações!LEIA MAIS:Eis o motivo pelo qual você não deveria ensinar memes aos seus paisEste cavalete saindo de cena de fininho já é um dos melhores memes deste ano

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

A Black Friday, dia de saldão americano, já virou tradição no Brasil. Assim como nos Estados Unidos, lojas brasileiras prometem promoção arrasadora durante a última sexta-feira de novembro, ou seja, amanhã (24). De acordo com Ebit, consultoria especializada em comércio eletrônico, a data deve movimentar mais de R$ 2 bilhões no comércio eletrônico.Enquanto nos últimos anos, o evento focou em tecnologia e eletrodomésticos, esta Black Friday tem tudo para ser o dia de tirar a barriga da miséria. Isso porque diversos restaurantes, lojas de chocolate e redes de fast-food anunciaram descontos imperdíveis, como produtos pela metade do preço e até dobro de comida.Isso mesmo que você leu, comida em promoção...Na opinião dos consumidores, esta Black Friday parece ser a melhor parte deste dia:Black friday de comida, é disso que eu gosto!! — Alex Vinicius (@AlexV1105) 23 de novembro de 2017Eu entro na dieta e essa semana tem ate Black Friday de comida DE COMIDA — Kim (@milenaalvezz) 23 de novembro de 2017Black friday de comida é o melhor tipo de black friday — Holly (@leetquesada_) 23 de novembro de 2017Black Friday com comida!!!!! esse momento é meu https://t.co/AAVDg1eiRG — thaimeme (@thaieme) 23 de novembro de 2017Com a ansiedade a todo vapor -- e dietas interrompidas --, o HuffPost Brasil elencou algumas promoções de restaurantes e lojas que devem fazer sua sexta-feira mais feliz, veja:McDonald's e o dobro de McFritasA notícia rendeu grande reboliço nesta semana. A rede de fast-food dará um refil de batatas fritas ao cliente que comprar uma McFritas média (avulsa ou combo). Ele receberá uma embalagem especial que pode ser trocada por mais uma McFritas média, ou seja, cada um tem direito a um refil.A promoção é válida somente durante a Black Friday, mas o refil pode ser trocado até o próximo sábado (25) nos restaurantes participantes.Combo promocional e balde de batatas no Burguer KingNo dia seguinte de McDonald's anunciar o dobro de batata, o Burger King resolveu modificar três combos, substituindo a batata média por um balde de batata frita, que equivale a DUAS batatas grandes. A promo vale para o Cheddar Duplo, Whopper e do Cheeseburger Duplo com Bacon. O valor promocional do combo, incluindo o refri (com refil) e dois sachês de maionese, é de R$ 19,90.black friday refil de batata do mcdonalds ou uma bacia de batata do burguer king e eu to como pic.twitter.com/SlwDxjnUl1 — yami dos elfos (@serialkyuller) 22 de novembro de 2017Lindt e chocolates pela metade do preçoA marca de chocolate está oferecendo desconto de 50% no segundo produto que o consumidor comprar nas lojas. A promoção vai até dia 26 ou enquanto durarem os estoques.Batata à vontade no GiraffasA rede Giraffas oferece pratos e combos pela metade do preço nos restaurantes nos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. A promoção, que vai até o dia 26 de novembro, terá estrogonofe de frango por R$ 9,90 (em vez de R$ 18,90) e combo por R$ 15,80.No Shopping Cidade São Paulo, em São Paulo, a rede vai distribui batata frita de graça a partir das 15h da sexta-feira. Para retirar, basta chegar ao restaurante e pedir a porção de batatas fritas no tamanho médio. A ação ocorrerá enquanto durarem os estoques.Farofino e outros pratos com desconto no AméricaAté hoje (23), o restaurante oferece descontos de 40% para pedidos feitos no delivery do aplicativo. Já amanhã, a rede oferecerá produtos pela metade do preço o dia inteiro pelo app. Para quem quiser comer nas unidades, os descontos passam a valer a partir das 15 horas.Ribs na Applebee'sO Applebee's fez mistério em suas redes sobre os descontos para o dia, mas segundo o Guia da Semana, o restaurante vai oferecer hambúrgueres por R$ 23,50 e a conhecida Baby Back Ribs com canoe frie por R$ 25,90.Kopenhagen com descontoAté o dia 26 a marca de chocolates finos vai dar descontos de 10% a 20% em toda sua loja, incluindo produtos de Natal.Cupons de desconto no Bob'sA rede vai distribuir cupons de desconto através do site www.bobsfa.com.br. É preciso fazer cadastro para acessar o cupom.Taco Bell e Nachos com descontãoA rede de culinária mexicana vai oferecer na próxima sexta-feira (24) seis combos da rede com 50% de desconto em 18 unidades pelo Brasil. Estarão na promoção os combos XXL Grilled Stuft Burrito, Crunchwrap Supreme, Burrito Supreme, Cheesy Beef Burrito & Taco Supreme, Quesadilla e 2 Tacos Supreme.Com tantas opções, vai faltar espaço para tanta comida... Ou não.ATUALIZAÇÃO:A primeira versão deste texto tinha um erro de interpretação sobre o valor do balde de batata frita do Burger King. O trecho foi corrigido.LEIA MAIS:Ficou sabendo? Spotify agora dá desconto de 50% para estudantesMcDonald's vai ter refil de fritas nesta Black Friday

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

O Conselho de Ética do PMDB decidiu por unanimidade expulsar a senadora Kátia Abreu (TO) do partido nesta quinta-feira (23). A decisão também prevê o cancelamento de sua filiação partidária.Presidente nacional do PMDB, o senador Romero Jucá (RR) declarou que "acatará de imediato a decisão" e que "a medida demonstra nova fase de posicionamento do partido".A senadora é acusada de violação ao Código de Ética e Fidelidade Partidária e ao Estatuto do partido. A senadora desobedeceu a orientação da sigla e votou contra a reforma trabalhista, em julho. Também já se pronunciou contra a reforma da Previdência. As reformas são as grandes bandeiras do governo.Em nota, Kátia Abreu afirmou que foi expulsa exatamente por não ter feito concessão à ética na política. "Fui expulsa por defender posições que desagradam ao governo. Fui expulsa pois ousei dizer não a cargos, privilégios ou regalias do poder".A mesma comissão de "ética" não ousou abrir processo contra membros do partido presos por corrupção e crimes contra o país.A minha expulsão não é uma punição. É biografia. — Senadora Katia Abreu (@KatiaAbreu) November 23, 2017Lutei pela democracia no partido. Mas os corruptos venceram. Mas não por muito tempo.Vitoria de Pirro. — Senadora Katia Abreu (@KatiaAbreu) November 23, 2017Ministra da agricultura no segundo mandato de Dilma Rousseff, a senadora foi contra seu processo de impeachment e, desde então, não poupa críticas ao PMDB nem ao governo Temer. Em maio, em pronunciamento no Senado, declarou que o governo demonstrava "incompetência política" e que Temer havia "perdido a governabilidade". Em agosto, disse em entrevista ao Estadão que "o PMDB perdeu o fio da meada".No twitter, ela tem aproveitado para alfinetar decisões do Planalto.Coorporação faz pressão e o Governo cede? Tá bom. — Senadora Katia Abreu (@KatiaAbreu) 17 de novembro de 2017Quer dizer que proibirão por 5 anos novos cursos de medicina em prol da qualidade do ensino?Piada pronta. Benefício dos bolsos da corporação — Senadora Katia Abreu (@KatiaAbreu) 17 de novembro de 2017Sob pressão, Temer recua e reavalia reforma ministerial ampla - 15/11/2017 - Poder - Folha de S.Paulo ENQUANTO ISTO? https://t.co/VqTeEjEfxV — Senadora Katia Abreu (@KatiaAbreu) 16 de novembro de 2017Apesar do encerramento do processo no conselho de ética, Kátia ainda pode recorrer da decisão junto à Executiva Nacional do partido.LEIA MAIS:Governo Temer decepcionou, avaliam senadoras do PMDB um ano após impeachment na Câmara'Quem nunca atrasou uma conta?', diz Kátia Abreu em defesa de Dilma nas pedaladas

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

A violência doméstica emocional, como humilhações e ameaças, atinge 27% das mulheres nordestinas entre entre 15 e 49 anos. É o que revela a Pesquisa Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, da Universidade Federal Ceará e do Instituto Maria da Penha, financiada pela Secretaria de Políticas para as Mulheres e apoio do Instituto Avon.O estudo dos professores José Raimundo Carvalho e Victor Hugo de Oliveira, com 10 mil mulheres, é o primeiro que faz uma ligação da violência doméstica no Nordeste brasileiro, com foco entre gerações, vulnerabilidades raciais e socioeconômicas e incidência sobre a saúde, direitos sexuais e direitos reprodutivos das mulheres.De acordo com a pesquisa, o percentual de mulheres vítimas de agressão física na região é de 17, 27% e de violência sexual fica em 7,13%. Já as capitais Maceió (AL), Recife (PE) e Aracaju (SE) de destacam nos índices de incidência considerável da violência doméstica, com 68,89%, 53,33% e 46,67%, respectivamente.O professor José Raimundo Carvalho estima que, fora das capitais, o nível de violência seja "três vezes maior do que isso, no mínimo".As agressões são cometidas tanto por parceiros (45% de violência emocional e 37% de violência física quanto por ex-parceiros (44% de violência emocional e 48% de violência física para o último ex-parceiro)."O fato de ex-parceiros serem tão ou mais violentos do que parceiros atuais pode ser entendido ao se considerar que o fim de uma relação, geralmente aquela encerrada pela mulher, representa um duro golpe em termos de transgressão de normas de gênero preponderantes nas concepções sobre relacionamento desses homens", diz o estudo.Um indicador, que demonstra que 39,3% da vizinhança e 29,45% do círculo social das vítimas percebeu a violência doméstica mostra que "há uma intrincada e simultânea teia de relacionamentos permanentemente em ação", o que pode motivar intervenções inovadoras para ajudar na redução do problema, de acordo com a pesquisa.Violência na gravidezEntre as mulheres nordestinas, 6,2% sofreram agressão física durante a gestação. Dessas, 77% eram negras. "O Nordeste é uma das regiões com mais desigualdades no país, com machismo arraigado e concentração de população negra. A pesquisa capta a complexidade da violência de gênero com recorte racial e geracional, que demanda respostas políticas multisetoriais como estabelece a Lei Maria da Penha ao evocar ações integradas da saúde, segurança pública, justiça, educação, psicossocial e autonomia econômica", afirma Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.Para Gasman, a pesquisa traz dados concretos que podem colaborar para a implementação do Marco de Parceria das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável 2017-2021 pela ONU Brasil e o governo brasileiro. A divulgação dos dados faz parte da campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. "Mulheres e meninas devem ser significativamente apoiadas para que levantem suas vozes", afirmou no lançamento da pesquisa, nesta quinta-feira (23).Presente no lançamento do estudo, a farmacêutica Maria da Penha, que dá nome à lei de combate à violência contra mulher no Brasil e incentivadora do estudo, destacou a importância da abordagem da violência doméstica incluindo aspectos socioeconômicos e a transmissão da agressão pelas gerações. "O banco de dados dessa pesquisa inaugura uma nova etapa nos debates sobre violência doméstica em âmbito nacional", afirmou.A pesquisa também revela que mulheres com mais instrução sofrem menos de violência doméstica durante a gravidezl. Por exemplo, 0,9% das mulheres com ensino superior ou nível educacional mais elevado reportaram ter sido fisicamente agredidas pelo parceiro durante a gravidez, enquanto o percentual é dez vezes superior entre mulheres sem instrução ou ensino fundamental incompleto (9.4%).Entre as vítimas de violência na gravidez, 82,5% delas sofreram agressões em mais de uma gestação. "Essa evidência sugere que as agressões eram recorrentes a cada gestação, indicando um elevado grau de vulnerabilidade da mulheres gestantes vítimas de violência doméstica", aponta o estudo.A agressão pode levar a gestante à depressão, atenção pre-natal inadequada, sangramento vaginal, hipertensão e ao aborto espontâneo, dentre outras consequências. Já crianças com mães agredidas na gravidez, apresentam 0,9 pontos percentuais a mais de chance de morrer no primeiro ano de vida.Transmissão da violência entre geraçõesUm dos resultados mais alarmantes da pesquisa é sobre a transmissão da violência entre gerações. Segundo a sondagem, 4 a cada 10 mulheres que cresceram em um lar violento sofreram o mesmo tipo de violência na vida adulta, o equivalente a 42%. Entre as que não lembravam se a mãe sofreu violência, 22% foram agredidas.De acordo com o estudo, 20,1% de mulheres souberam de agressões sofridas pelas respectivas mães durante a infância. Desse grupo, 88,7% presenciou efetivamente a violência. Além disso, 12,3% das mulheres reportaram que o parceiro ou ex-parceiro sabia que a própria mãe foi agredida.Também nesse aspecto a diferença racial está presente. 1 a cada 4 entrevistadas negras afirmou se lembrar de episódios de violência contra sua mãe. Já entre as entrevistadas brancas, o número é de 1 a cada 5.Em média, cada morte provocada por violência doméstica deixa dois órfãos, mas em em 34% dos casos, o número é maior ou igual a três crianças. Além disso, 55,2% das mães agredidas contaram que os filhos presenciaram a cena ao menos uma vez. Nesse grupo, 24% das mulheres afirmaram que os filhos também foram agredidos pelo parceiro ou ex-parceiro.A pesquisa recomenda priorizar ações que busquem minimizar o impacto desse problema nas futuras gerações e "considerar a família e suas complexas inter relações econômicas e sociais como o locus fundamental onde se criam e perpetuam as relações de poder que determinam o uso de violência doméstica como estratégia 'instrumental' do patriarcalismo".Violência doméstica e mercado de trabalhoO estudo também mostrou que a violência doméstica traz como consequência danos para a saúde mental da mulher e reflexos no mercado de trabalho.No Nordeste, a capacidade de tomar decisões varia de 74% entre mulheres não agredidas para 58% entre as vítimas de violência. Em Teresina,48%, reportaram ter a saúde mental afetada pelo comportamento violento do parceiro. As proporções em Aracajú e Natal são de 42% e 40%."Tais evidências indicam que a violência doméstica pode deteriorar o estado emocional da mulher, bem como reduzir sua capacidade de concentração e tomada de decisão que são fundamentais no exercício de qualquer atividade no mercado de trabalho", destaca a pesquisa.A violência levou ainda 23% das mulheres vítimas de agressão a recusarem ou desistirem de uma oportunidade de emprego. O percentual é de 9% entre as não agredidas. Na capital Salvador, 22% das mulheres que sofreram violência doméstica nos últimos 12 meses reportaram que o comportamento violento do parceiro interferiu em seu trabalho ou em outras atividades remuneradas. Em seguida, a capital Teresina apresenta uma proporção de 20%, e Fortaleza com 18%.O impacto financeiro da violênciaA pesquisa estima que aproximadamente R$ 64,4 milhões sejam perdidos devido à violência doméstica nas capitais do Nordeste brasileiro. Isso porque 12,5% das mulheres empregadas nas capitais nordestinas sofreram algum tipo de violência doméstica nos últimos 12 meses, o equivalente a 219.109 mulheres.Nesse grupo particular, aproximadamente 25% das mulheres reportaram ter perdido ao menos um dia de trabalho, ou seja, 54.777 mulheres. Logo, o número total de dias de trabalho perdidos devido ao absenteísmo (assumindo a média de 18 dias perdidos relatada) somam 985.986 dias, ou quase 7,9 milhões de horas trabalhadas perdidas.O estudo considerou o valor do salário-hora entre as mulheres vítimas de violência doméstica (R$ 8,16 em valores nominais de 2016). Para o país, a estimativa chega a R$ 975 milhões perdidos.Segundo a sondagem, 17% das mulheres vítimas de violência doméstica nos últimos 12 meses responderam que repassam parte ou a totalidade dos seus rendimentos para seus respectivos parceiros. O percentual é de 10% no outro grupo.Já a duração média do emprego para as mulheres que não sofreram violência nos últimos 12 meses é de 74,82 meses, a duração média daquelas que sofreram é de 58,59 meses, uma queda de 22% na duração média no emprego."Menores durações de emprego significam que as vítimas de violência doméstica terão a sua capacidade econômica diminuída, enfraquecendo a sua capacidade de empoderamento dentro do domicílio, aumentando a sua dependência em relação ao parceiro. Também significam que as vítimas de violência terão menores chances de aquisição de habilidades específicas ao trabalho, bem como serão preteridas nas promoções de carreira", destaca a pesquisa.Ambos os fenômenos impactam negativamente no salário. Mulheres vítimas de violência doméstica possuem um salário cerca de 10% menor do que aquelas que não são vítimas de violência doméstica. Em Fortaleza, a diferença chega a 34%.Mais uma vez a questão racial se faz presente. Mulheres brancas não agredidas tem média de R$ 11,42 de salário por hora. O valor é de R$ 7,20 para negras vítimas de violência doméstica.Diante desse cenário, a pesquisa recomenda a aprovação do Projeto de Lei do Senado nº 296/2013, que cria um auxílio para mulheres vítimas de violência doméstica e a adoção de políticas de recursos humanos com um foco maior nas questões de gênero nas empresas.LEIA MAIS:Ministro do TSE acusado de violência doméstica lamenta que agressão esteja sendo publicizadaA entrevista mais sincera de Bolsonaro revela zoofilia, violência contra mulher e frisa homofobia

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

Além de pedirem a expulsão de Marcos Harter de A Fazenda - Nova Chance, os telespectadores estão inconformados com a produção do programa. Para eles, a Record não está sendo transparente sobre o relacionamento dos bastidores com os participantes, em especial, com o cirurgião plástico.No Twitter, os usuários questionaram a mudança de comportamento do médico, que agrediu verbalmente Flávia Viana, também participante, quando a chamou de "dissimulada" e "vilã" na última quarta-feira (20) e agora teria mudado o seu conceito sobre ela.Para o público, a produção teria avisado Harter sobre a movimentação das redes sociais que pede sua expulsão do programa e, com medo de perder a disputa, mudou o seu comportamento:Gabi, ele foi avisado que estávamos subindo TAG #MARCOSEXPULSO, daí ele já tá todo diferente com a Flávia.. se a Amin voltar ele não vai nem ligar, até pq ele não gosta dela, ele finge p ter aliado.. — Acabou Jéssica? 💃💎🐻🚔 (@OxeAteParece) 23 de novembro de 2017#afazenda DAR VONTADE DE SUBIR UMA TAG #MarcosQueridinhoDaProdução , PQ ESTA OBVIO Q ELE RECEBEU INFORMAÇÕES DEPOIS DE #MarcosExpulso , DEPOIS DISSO D NADA ELE MUDOU O CONCEITO SOBRE FLAVIA ,NEM UM DIA DIREITO FOI, ENGANA QUEM EM, DEIXA NOSSA MENINA QUIETA. #TeamFlavia — SRM7 💎🐻🎈🎞🎼 (@SRM716) 23 de novembro de 2017Está claro que @recordtvoficial avisou Marcos sb a tag #MarcosExpulso. seu protegido agressor de mulheres — Marisol Campos🦉 (@Marisol8154) 23 de novembro de 2017Record ta fazendo um papel muito sujo com essa do Marcos, avisou ele da tag #MarcosExpulso e o cara virou santinho num passe da mágica, a Flavia não e mais aquilo que ele falava ela mudou em minutos, haa pensam que enganam quem? — #MANOLITO# (@HemiG215) 23 de novembro de 2017Sigo firme #MARCOSEXPULSO Não adianta #produção tentar molda-lo, acho engraçado ele ser o vilão do programa por mais de dois meses, e agora após a internet pedir sua expulsão do programa ele "mudar", agora é bonzinho né? Sei, me engana que eu gosto. #Ranço#Embuste — Jennifer Monteiro (@jennifergomesm1) 23 de novembro de 2017O mesmo comportamento do BBB17Na última segunda (20), Harter voltou a chamar a atenção do público. Durante uma atividade - na qual os participantes deveriam classificar seus colegas de confinamento como engraçado, assustador, espião, dramático, mocinho e vilão e justificar sua escolha -, Marcos chamou a peoa de "vilã" e disse que tem medo do jogo dela:Eu acho o teu jogo assustador Flávia, porque você é muito dissimulada. Algumas pessoas podem ganhar R$ 10 milhões, mas serão eternamente pobres se o espírito for pobre.E Flávia respondeu:Felicidade incomoda. Minha risada te incomoda.Ao perceber que a colega de confinamento se abalou com os comentários, Marcos disse para ela "não chorar". E ela retrucou:Eu choro a hora que eu quiser. Você é médico e tem que aprender a lidar com os sentimentos das pessoas. Você é baixo.A cena foi considerada por muitos telespectadores como violência psicológica e a hashtag #MarcosExpulso foi um dos termos mais comentados do Twitter.Então Rodrigo Carelli você está esperando mais o que? Violência verbal e psicológica se enquadra na Lei Maria da Penha e MP. Rodrigo Carelli se você tem mãe, mulher, filha, tia, prima, avó... Você gostaria de assistir esse psicopata manipulador e perigoso como o Marcos Harter — Mona Teixeira (@MonaTeixeira4) 21 de novembro de 2017O público, ainda, questionou a edição do episódio e a manipulação das imagens que não veicularam todo o conteúdo da cena de Harter e Viana.Como o Marcos zomba da fé da Flávia, sendo necessário o amparo da produção e calmantes para ela e eles cortam isso da edição? Falta transparência e credibilidade, estão querendo proteger esse monstro de homem? Eu tenho nojo de vocês!!! @[email protected]#MARCOSEXPULSOpic.twitter.com/fyDohB8LAm — FRED SAMBIXXXXTA 32,67%🎈 (@UiLacrei) 21 de novembro de 2017Para a audiência, o ex-BBB, que foi expulso do reality da Globo e indiciado por agressão à Emily Araújo, estaria repetindo o mesmo padrão ao se comportar de forma inadequada e agressiva com algumas mulheres. Engana-se quem pensa que a situação com Flávia é inédita.Ainda na Fazenda, Marcos Harter protagonizou uma discussão com Ana Paula Minerato, que fez com que muitos fãs se lembrassem do relacionamento abusivo de Harter com Emilly Araújo, no BBB.A presença de Marcos Harter em A Fazenda levou o público a se questionar sobre a responsabilidade da televisão ao veicular conteúdos que incentivem a violência contra a mulher.No mesmo ano, dois realities, várias mulheres agredidas, Emilly, Vívian, Marinalva, Ieda, Flávia, não importa a forma de agressão, a televisão não pode apoiar nenhum tipo de manifestação que atente contra a mulher! #MARCOSEXPULSO — Mariana Garcia 💎 (@MarianaasGarcia) 21 de novembro de 2017Ele tem q se #expulsomarcospic.twitter.com/8PMNPALuwt — Edna Sardinha🔮 (@EdnaSardinha1) 21 de novembro de 2017Procurada pelo HuffPost Brasil, a Record afirmou que a produção de A Fazenda não tem nenhum contato com os participantes e negou qualquer tipo de informação privilegiada que teria sido vazada para Marcos Harter. Sobre o comportamento agressivo do participante do reality, a emissora não fez nenhum comentário.LEIA MAIS:Indiciado por agressão, Marcos Harter publica carta aberta para Emilly AraújoMarcos Harter é indiciado por agressão à Emily Araújo no 'BBB 17'A discussão que fez os fãs de 'A Fazenda' lembrarem do comportamento agressivo de Marcos no 'BBB17'

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

A disputa de maior rejeição será um espetáculo à parte nas eleições presidenciais de 2018. Sete dos nove presidenciáveis têm indíce de reprovação maior que 50%, segundo a pesquisa Barômetro Político, realizada pelo Instituto Ipsos e pelo jornal O Estado de São Paulo e divulgada nesta quinta-feira (23).Pré-candidato pelo PSD, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem 70% de rejeição. Logo atrás dele, está o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), com 67% de reprovação.Em terceiro lugar, estão empatados o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e o ex-governador Ciro Gomes (PDT), com 63% de rejeição. Atrás dos quatro, o ranking segue com Jair Bolsonaro (PSC), que tem 60%, Marina Silva (Rede) e Lula (PT), ambos com 56%.Dos nomes cogitados para a Presidência da República, apenas Joaquim Barbosa e Luciano Huck têm rejeição menor que a metade dos brasileiros: respectivamente 41% e 32%.A pesquisa do Instituto não mede intenção de votos. Ela lança nomes do universo político e pede aos entrevistados que avaliam se aprovam ou desaprovam sua atuação no País. Também não está restrita a presidenciáveis. A pesquisa avaliou nomes de políticos e juristas, e os recordistas de reprovação são o presidente Michel Temer, com 95%, e o senador Aécio Neves, com 93%.No próximo dia 9, o PSDB decidirá em convenção quem deve ser o candidato do partido à Presidência. A maior probabilidade é que Alckmin seja o presidenciável e Doria seja lançado para concorrer ao governo de São Paulo.AprovaçãoDois "outsiders" políticos estão no top 3 dos candidatos mais aprovados pela população. O apresentador da Globo, Luciano Huck, encabeça o topo da lista com 60%, seguido pelo ex-presidente Lula com 43%, e pelo ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, com 42%.Huck também teve o maior crescimento de aprovação: ele subiu 16 pontos percentuais desde junho de 2017, quando seu nome entrou para a lista de avaliação do instituto.Huck e Barbosa não se decidiram ainda sobre suas candidaturas, mas foram convidados para ser a cara do PPS e do PSB, respectivamente, em 2018. O primeiro prometeu resolver sua candidatura até dezembro. O segundo, até janeiro. Os dois se encontraram no início do mês para debater candidaturas e uma possível união para o próximo pleito.Mesmo com a condenação a nove anos e seis meses pelo caso do Tríplex do Guarujá, Lula conseguiu diminuir um ponto percentual de rejeição e aumentar em oito pontos sua aprovação desde 2015.LEIA MAIS:Entenda o que está por trás da crise instaurada dentro do PSDB Luciano Huck empata com Doria e Alckmin, diz Ibope

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

Uma organização conservadora anti-LGBT promoveu uma conferência no último final de semana na região do Texas, nos EUA, cuja abertura foi, no mínimo, curiosa.No vídeo abaixo você acompanha o momento em que um sujeito aparece no palco segurando duas exuberantes bandeiras coloridas de estilo tie-dye.Assim que a música começa, ele realiza uma performance cheia de paixão e giros.Esta é provavelmente a apresentação mais mais gay, (sim, alegre e divertida) numa reunião de fanáticos anti-LGBTs de que se tem notícia.A conferência MassResistance's Teens4Truth foi idealizada pelo MassResistance, classificado como grupo de ódio pelo Southern Poverty Law Center - organização americana de advocacia conhecida por vitórias judiciais contra grupos de supremacia branca.O MassResistance descreve-se como "o principal grupo ativista de base pró-família em Massachusetts". No entanto, expandiu a atuação recentemente para outros estados americanos.O grupo é conhecido nos EUA por expressar pontos de vista extremistas sobre os direitos dos LGBTs.LEIA MAIS:A história do casal gay que fugiu do Irã com a esperança de uma vida melhor nos EUAPela primeira vez, Disney conta história de personagem gay

  • huffpostbrasil.com
  • 1 day ago

Para tipos não-financeiros, o conceito de bitcoin pode parecer intimidador. Justamente quando estávamos começando a entender taxas de juro variáveis e notas do Tesouro, alguém vai lá e cria uma nova moeda digital. O que aconteceu com a ideia de botar o dinheiro embaixo do colchão?Mas, com ou sem nossa aprovação, o bitcoin está aí, e aqueles que entraram na onda desde cedo estão ganhando muito dinheiro.Na data de publicação deste artigo, uma unidade de bitcoin valia cerca de 3.900 dólares, segundo o conversor de moedas XE, ou 4.170, segundo o site Coinspot.Para ter uma ideia da valorização, em 2010 um bitcoin valia 1,5 centavo de dólar. Vamos fazer um minuto de silêncio para o sujeito que comprou 25 dólares em bitcoins, jogou fora o HD e hoje teria 7,6 milhões de dólares. Ai.Mas e quem chegou (relativamente) tarde à festa do bitcoin? Perdemos o bonde?O que é o bitcoin?Vamos começar com o básico.Segundo a definição do CoinDesk, "bitcoin é um tipo de moeda digital, criada e guardada eletronicamente. Ninguém a controla. Bitcoins não são impressos, como dólares ou euros – eles são produzidos por pessoas, e cada vez mais também por empresas, usando computadores para resolver problemas matemáticos".Os bitcoins são transacionados digitalmente, mas essa não é a parte mais nova. O que diferencia essa nova moeda é que ela é descentralizada, ou seja, ela não é controlada por uma única instituição. Em vez disso, os bitcoins dependem de uma estrutura peer-to-peer (entre pares), uma comunidade aberta a qualquer um.Os integrantes dessa comunidade são chamados de "mineradores". Eles usam o poder de processamento de seus computadores para checar as transações de bitcoins. Em troca, toda vez que o fazem, são remunerados em bitcoins.Quem inventou o bitcoin?O bitcoin foi criado por Satoshi Nakamoto em 2008, mas o sistema só entrou no ar no ano seguinte. E, como estamos falando de internet e tudo pode acontecer, ainda não foi possível estabelecer com certeza a identidade de Nakamoto. (O australiano Craig Wright afirma ser o verdadeiro criador do bitcoin, mas ele não ofereceu provas suficientes).Posso ganhar dinheiro com bitcoins?Ah. A pergunta de um milhão de dólares (literalmente). Como já dissemos, se você comprou bitcoins lá atrás, quando eles valiam centavos de dólar, você provavelmente estaria num iate agora, sendo abanado com uma folha de palmeira – não lendo essa matéria. (Ou então estaria lendo para rir dos outros. Enfim, o tempo é seu, use-o como melhor lhe aprouver.)Mas ficar milionário não é exclusividade de quem investiu bem no começo. Um adolescente americano do estado de Idaho investiu 1 000 dólares há três anos e agora tem mais de 1 milhão de dólares.Mas e quem investe agora?Algumas coisas importantes devem ser levadas em consideração.Oferta controladaÉ importante observar que existe um limite para o número de bitcoins criados. O máximo é 21 milhões. Apesar desse limite, o total nunca estará em circulação, porque alguns azarados perderam suas chaves – e, portanto, seu acesso à moeda.Segundo o site Quora, "em 21 de junho, havia 16.366 275 BTC, de um total teórico de 21.000.000, ainda a ser minados".Portanto, bitcoins são finitos, assim como o é o ouro do planeta. E o importante a saber é que ainda há moedas a serem minadas.Pode-se argumentar então que não é tarde demais para pegar o bonde do bitcoin."Não é tarde demais para comprar bitcoin", diz ao The Huffington Post Austrália Emma Poposka, CEO da empresa de administração de moedas digitais Bron.Tech. "Se virmos adoção plena no futuro, ou se a moeda chegar ao mainstream, o preço ainda tem de subir de valor, porque a oferta é limitada."Se você está se perguntando: "Mas não podem criar mais bitcoins?", essa é a beleza de uma moeda que não é controlada por uma única instituição.Para mudar os protocolos do bitcoin, todo minerador tem de votar na decisão. Não se esqueça de que eles são remunerados em bitcoins por seu serviço – por que eles votariam para reduzir o valor de seu próprio patrimônio?"Ninguém pode mudar o protocolo. Não há uma única parte que possa fazê-lo", diz Poposka. "Se alguém quiser mudar algo no protocolo do bitcoin, tem de haver uma votação. É um processo muito democrático.""Todo minerador tem de votar para que aconteça uma mudança, e a maioria deles já tem bitcoins. Votar para aumentar a oferta seria votar pela diminuição do seu patrimônio em bitcoins, o que não faz sentido."Mas isso não quer dizer que os mineradores concordem sempre. Recentemente (em 1º de agosto), o bitcoin se dividiu em duas moedas, o bitcoin classic (BTC) e o bitcoin cash (BCH). Duas facções adversárias não conseguiram chegar a um acordo sobre o futuro da moeda digital. Você pode saber mais sobre essa cisão e suas implicações aqui.Outras moedas digitaisCom tanto hype em torno do bitcoin, é fácil esquecer que existem outras alternativas. O bitcoin é mais famoso por ser a primeira, mas não é a única."O bitcoin não é a única moeda que vale a pena – não diria investir, não gosto do termo – comprar ou guardar", diz Poposka."De acordo com nossa visão idealista do mundo, ou com o que você acha certo, você pode comprar ou guardar ou negociar [qualquer moeda] que considere [promissora].""Então agora temos o bitcoin e seu maior rival, o ethereum.""Minha empresa tem uma moeda própria, chamada Bron, que é uma moeda que pode ser comprada, guardada ou negociada. Ela é garantida por um bem que consideramos valioso no mundo digital, os dados.""O bitcoin é mais popular porque é o mais antigo."Na opinião de Poposka (que ela compartilha fazendo a ressalva de que não está oferecendo assessoria financeira), vale a pena olhar para as várias moedas existentes."Cada uma delas vem acompanhada de um white paper ou uma descrição explicando por que a moeda deveria ser bem sucedida. Se fizer sentido para você, então compre 20 dólares, por exemplo. É uma decisão individual", afirma ela.RiscosO bitcoin, como qualquer outro investimento, traz riscos. Segundo Eric Lim, da Escola de Sistemas de Informação e Administração Tecnológica da universidade UNSW, um dos maiores riscos é um governo decidir intervir e criar regulamentações sobre os mineradores. Ou, pior, lançar sua própria criptomoeda."O fato de que muito dos mineradores estarem na China é meio preocupante, especialmente se o governo chinês decidir criar regulamentações sobre a operação dos mineradores. Isso poderia ter um impacto enorme sobre o valor do bitcoin", afirma Lim ao The Huffington Post Austrália."Portanto, quem considera investir em bitcoins agora deve ter cuidado. Há muito apetite para especulação, então o preço ainda deve subir, mas eu não colocaria todas as minhas economias.""Se o governo chinês decidir regular [o bitcoin] ou lançar sua própria moeda, isso derrubaria o preço [da moeda]."Se o governo chinês lançar sua própria criptomoeda, é claro que eles vão abandonar o bitcoin. Nenhum país soberano pode ter duas moedas circulando paralelamente, é muito instável. Eric LimSegundo Lim, essas mudanças não são apenas possíveis, elas são prováveis – embora não devam acontecer tão cedo."É uma preocupação real, porque nenhum governo soberano vai dizer: 'Vamos aceitar o bitcoin como ele é'. Porque eles não têm nenhum controle. É uma moeda descentralizada, nenhum país exerce controle sobre ela."Mas, como a criptomoeda e os blockchains (mais sobre eles aqui) têm várias vantagens, Lim afirma que a ideia é tentadora demais para ser simplesmente descartada."Existe valor em como funcionam a criptomoeda e os blockchains. Por exemplo, é uma ótima maneira de controlar lavagem de dinheiro ou corrupção. Se tudo virar digital, será mais fácil para o governo central acompanhar tudo.""Mas, se o governo chinês lançar sua própria criptomoeda, é claro que eles vão abandonar o bitcoin. Nenhum país soberano pode ter duas moedas circulando paralelamente, é muito instável."O que tirar disso tudo?"Para as pessoas considerando investir, recomendo ficar de olho nas grandes economias, como os Estados Unidos e a China", diz Lim. "Você precisa estar atento quando eles começarem a falar sobre sua própria criptomoeda. Assim você vai saber que os lugares vão parar de aceitar bitcoins."ConclusãoAs moedas digitais podem não ter chegado ao mainstream, mas há muitos argumentos para dizer que elas não vão desaparecer. Será que você deveria investir em bitcoins antes que se atinja o limite de 21 milhões? Talvez. Lim e Poposka acham que ainda dá para ganhar dinheiro.Mas será que vale a pena hipotecar a casa para investir? Provavelmente não."O que digo para colegas e amigos é: experimente, comprando pequenas quantidades. Você não precisa nem sequer comprar uma unidade inteira – você pode comprar uma parte por 10 dólares", diz Poposka."É uma tecnologia interessante, e acho que vale a pena comprar uma pequena quantidade, para brincar e aprender. Mas jamais recomendaria investir a sério em algo que você não entenda – e isso vale para tudo: bitcoins, ações ou imóveis.""Melhor pagar 50 dólares por um pequeno portfólio de criptomoedas e brincar com ele. Se der tudo errado, você só perdeu 50 dólares.""Aí, se você tiver aprendido o suficiente e ficar empolgado com a tecnologia, pode decidir comprar mais."*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost Australia e traduzido do inglês.LEIA MAIS:Empresas brasileiras analisam oportunidades da nova economia espacialViolência contra a mulher gera prejuízo de R$ 1 bilhão para economia brasileira

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

A ONG Greenpeace divulgou um relatório em que acusa mais de 10 empresas da União Europeia e dos Estados Unidos de comprarem madeira de uma empresa acusada de estar por trás do "massacre de Colniza".O assassinato de nove moradores da cidade do Mato Grosso ocorreu em 19 de abril de 2017 e, segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF), foi motivado por interesses de madeireiros e grileiros por recursos existentes na região de Taquaruçú do Norte.A denúncia do MPF indicou que o proprietário das empresas Madeireira Cedroarana e G.A. Madeiras, Valdelir João de Souza, é o mandante do crime. Ele está foragido desde o massacre, mas suas empresas atuam normalmente no mercado.De acordo com a investigação do Greenpeace, no relatório "Madeira manchada de sangue", a Cedroarana "enviou sete remessas de madeira para os Estados Unidos" entre maio e agosto deste ano."No dia em que ocorreu a chacina em Colniza, essa mesma empresa embarcou cargas de madeira para os Estados Unidos e Europa. Em 2016 e 2017, exportou milhares de metros cúbicos de madeira amazônica para países como os Estados Unidos, Alemanha, França, Holanda e Portugal", diz o documento.Além dessas nações, que seriam as que mais importam da empresa mato-grossense, outras companhias da da Itália, Dinamarca - e até Canadá e Japão - fazem negócios com a Cedroarana.Ainda segundo a ONG, "graças a facilidade de fraudar os sistemas de licenciamento e controle de madeira no Brasil, cenas como as do 'massacre de Colniza' estão se tornando cada vez mais comuns, especialmente na Amazônia, onde os conflitos no campo são frequentemente ligados à madeira ilegal".Para o Greenpeace, a compra da madeira de empresas acusadas por esse tipo de crime "viola" as regras tanto norte-americanas como europeias, que exigem que a madeira comprada venha de áreas de desmatamento legalizado.Além disso, as empresas de Souza tem dívidas milionárias com o governo brasileiro por comércio ilegal de madeira, o que já comprovaria que europeus e norte-americanos não deveriam fazer negócios com essas duas empresas."A impunidade para este tipo de crime e a falta de seriedade do Estado em combater a ação de madeireiros ilegais criam um ambiente propício para que a ilegalidade prospere. Diante desse cenário, fica impossível confiar na procedência da madeira brasileira, pois a cadeia está toda contaminada", afirma Rômulo Batista, da campanha Amazônia do Greenpeace.LEIA MAIS: Transparência e concessões florestais: Mecanismos eficazes no combate à madeira ilegal na AmazôniaGoverno decide anular decreto que extinguia Renca

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

A aposentadoria rural continua como é hoje, assim como o BPC, benefício direcionado aos idosos e aos deficientes físicos. O tempo mínimo de contribuição passa de 25 anos para 15 anos.Esses são os principais recuos do governo para tentar aprovar ainda este ano a reforma da previdência na Câmara dos Deputados.Embora já tenha sido aprovada na comissão especial, a reforma é altamente impopular e encontra resistência entre os parlamentares para seguir adiante.O governo que já havia cedido em diminuir a idade mínima para as mulheres se aposentarem, decidiu manter 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens.Professores poderão se aposentar aos 60 anos e policiais aos 55 anos, sem distinção entre homens e mulheres.Pela nova regra, o cálculo que condiciona a aposentadoria ao tempo de contribuição inicia com 15 anos de contribuição que dá um rendimento de 60% da média do que foi contribuído. Apenas com 40 anos de contribuição, a pessoa vai conseguir alcançar os 100% do benefício.De acordo com o relator do texto, deputado Arthur Maia (PPS-BA) o tempo mínimo de contribuição caiu por causa dos trabalhadores mais pobres."Há uma argumentação, com certa razoabilidade, de que muitas pessoas, as mais pobres e que não têm emprego fixo, não conseguem contribuir mais que 15 anos. E se aposentam com 65 anos", explicou.A regra que permite o acúmulo de pensão e aposentadoria, desde que não ultrapasse o limite de dois salários mínimos, também foi mantida.As alterações na proposta foram apresentadas a parlamentares na noite de quarta-feira (22) pelo presidente Michel Temer no Palácio da Alvorada.Economia e previdência socialCom o novo texto, a expectativa é de uma economia de 60% do que governo previa com a proposta original.O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ressalta que a aposentadoria é o maior gasto do governo."Caso a reforma previdenciária não seja aprovada, em dez anos, 80% do Orçamento da União será ocupado apenas com o pagamento da Previdência. E esse percentual vai seguir subindo nos anos seguintes até que não haverá mais recursos para segurança, educação, saúde."LEIA MAIS:Reforma da Previdência é 'pauta morta', diz tucanoRelatório de CPI do Senado diz que Previdência Social não tem déficitAs 5 mudanças na reforma da Previdência autorizadas pelo presidente Michel Temer

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

Esta bebezinha tem um grupo de melhores amigos para lá de especial: 8 huskys siberianos.A amizade deste grupinho é tão, mas tão graciosa, que rendeu um perfil no Instagram em que seus pais, Melisca e Denny, compartilham suas aventuras.Primeiro de tudo: Tem amor de sobra!Loved. ❤️A post shared by Elisheba Danica Raquel (@danicaraquel) on Sep 25, 2017 at 9:55am PDTA pequena sempre tem companhia em suas atividades diárias como, por exemplo, aprender novas figuras e palavras...Playtime with keenai ❤️A post shared by Elisheba Danica Raquel (@danicaraquel) on Nov 9, 2017 at 9:50am PSTE ganha beijinhos diários!She got simba kiss on her face everyday. She must be very special ❤️ Simba never kisses people on face except me, like 3 times a year lol @danicaraquelA post shared by The Red Huskies (@thehuskypride) on Oct 27, 2017 at 7:14am PDTDepois, sempre rola aquele tempinho dedicado as fofoquinhas...Yes luna. Im listening.A post shared by Elisheba Danica Raquel (@danicaraquel) on Oct 4, 2017 at 8:41pm PDTE é claro: A hora do banho!Me and my swimming squad. Shadow is basically trying to steal my red ship. Bad boy shadow. 😲A post shared by Elisheba Danica Raquel (@danicaraquel) on Sep 25, 2017 at 8:44pm PDTE aí de quem vier reclamar desta amizade!No.. u dont get to mess with my dog. 😠A post shared by Elisheba Danica Raquel (@danicaraquel) on Sep 25, 2017 at 1:01am PDTQuanta fofura!LEIA MAIS:O curioso caso do cachorrinho que trocou seu melhor amigo por um pedaço de pizzaA jornada dessa cachorrinha obesa é a história de superação mais fofa que você vai ler hojeAqui estão 16 raças de cachorro que certamente têm um signo compatível ao seu

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

A Arábia Saudita deve assumir o posto de maior comprador de armas leves brasileiras pela primeira vez em cinco anos. Entre janeiro e setembro de 2017, o país árabe importou US$ 188 milhões em armas e munições, contra US$ 137 milhões dos Estados Unidos, vice-líder do ranking e, até então, principal cliente. Os dados constam no levantamento mais recente da Small Arms Survey, organização com base em Genebra, na Suíça, que pesquisa a violência e o uso de armas pelo mundo.As relações comerciais entre Brasil e Arábia Saudita ganharam destaque em 2015, quando as exportações no setor bélico atingiram a marca de US$ 109,6 milhões - sete vezes mais que em 2013. A maior beneficiada pelo crescimento é a Avibrás, empresa do setor de serviços de defesa que tem sede em São José dos Campos (SP) e concentra 97% das vendas relativas ao período.A maior demanda saudita por armas, responsável pelo incremento das importações, coincide com sua intervenção na guerra civil do Iêmen, que ganhou corpo no começo de 2015. Em março daquele ano, o governo árabe passou a liderar uma resistência local contra os houthis, rebeldes xiitas que reivindicam maior participação no poder. Desde então, o conflito registra 13.920 vítimas civis, sendo 5.159 mortos. Os dados são do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH)."Estamos vendendo armas para um Estado que viola os direitos humanos", afirma Jefferson Nascimento, assessor de política externa da ONG Conectas. "Alguns especialistas consideram hoje [a guerra no Iêmen] a principal crise humanitária, não mais a da Síria."Atualmente, o Brasil é o terceiro maior exportador de armas leves do mundo. Só em 2014, as vendas atingiram os US$ 591 milhões, deixando o País atrás apenas dos Estados Unidos e da Itália. O comércio de armas brasileiras é regulamentado pela Política Nacional de Exportação de Material de Emprego Militar, normativa do Executivo criada em 1974, durante o regime militar.A principal crítica de organizações de direitos civis é que a sociedade não tem acesso ao seu conteúdo, impedindo que se tenha uma noção precisa sobre a postura do Brasil na área. "Nosso país é um caso exemplar de falta de transparência no comércio internacional de armas", afirma Nascimento. No quesito transparência, o relatório da Small Arms Survey deu nota 7,5 ao Brasil, em uma escala que vai até 25.O Brasil se tornou signatário do Tratado sobre o Comércio de Armas (ATT) ainda em 2013. O acordo é responsável por regulamentar a compra e venda no setor bélico e proibir a transferência de armas e munições para países acusados de crimes contra a humanidade. Até o momento, no entanto, o tratado não foi ratificado pelo Congresso Nacional. Sem essa medida, o ATT permanece sem efeito prático.*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.LEIA MAIS:Traficante de pessoas afoga 50 imigrantes no IêmenA história não contada das menores vítimas da guerra brutal no Iêmen

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, defendeu o direito de transexuais mudarem o gênero no registro civil (certidão de nascimento), mesmo sem terem feito a cirurgia de mudança de sexo. Na visão do ministro, que é relator de uma ação sobre o assunto, não é o sexo do indivíduo, a identidade biológica, que faz a conexão dele com a sociedade, mas sim sua identidade de gênero.Na tarde desta quarta-feira (22), o STF debateu a possibilidade de transexuais mudarem registro civil sem necessidade de cirurgia. O julgamento, porém, foi interrompido pelo ministro Marco Aurélio, que pediu vista. Com o pedido do ministro, o julgamento foi suspenso por tempo indeterminado.A Ação Direta de Inconstitucionalidade e de um Recurso Extraordinário em julgamento contesta a decisão tomada pelo tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que condicionou a alteração de gênero à realização da cirurgia.Toffoli votou pra procedência da ação e, em sua fala, afirmou que o direito de uma pessoa se registrar civilmente como do sexo feminino ou masculino se trata de uma "adequação à sua identidade social", mesmo sem ter de se submeter à cirurgia.Não há como se manter um nome em descompasso com a identidade sexual reconhecida pela pessoa que é efetivamente aquela que gera a interlocução do indivíduo com sua família e com sociedade, tanto nos espaços privados, quanto nos espaços públicos.No entendimento do relator, é possível que transexuais tenham direito, mesmo sem cirurgia, a terem uma nova certidão de nascimento com alteração de gênero, só que esta certidão não significaria o cancelamento da que já existe.Na tese do ministro, essa alteração deve ser averbada a margem do assento de nascimento, com anotação de que o ato realizado é por determinação judicial vedada a inclusão do termo transexual. Nas certidões do registro não constará nenhuma observação sobre a alteração, vedada a expedição de certidão de inteiro teor, salvo ao próprio requerimento do indivíduo.Ou seja, apenas por um processo judicial é possível pedir uma nova certidão de nascimento, que ficará ao lado da antiga, com sigilo absoluto sobre essa alteração. Então se altera o registro por uma determinação judicial, mas não cancela o primeiro.Acompanharam Toffoli os ministros Alexandre de Moraes, Edson Facchin, Rosa Weber, Luis Roberto Barroso.Barroso disse que este julgamento contribui para a superação do preconceito em relação às pessoas trans. "A vitória judicial é um capítulo da luta. Ela continua no convencimento que se tem que fazer perante a sociedade de maneira geral", disse Barroso, ressaltando que cabe ao transexual optar livremente pela cirurgia, que é invasiva, arriscada e não é acessível a todos. Também afirmou:Condicionar a mudança no registro à cirurgia representaria adotar a inadequada visão de que a vivência da identidade de gênero se resume à genitália.A ministra Rosa Weber também votou para que um transexual possa mudar registro civil sem cirurgia. "A sexualidade não pode mais ser compreendida apenas no seu aspecto anatômico e biológico. O papel do Estado e da democracia deve ser de assegurar máxima igualdade entre as pessoas", defendeu.Ao passar a votação para Marco Aurélio, o ministro se disse inconformado com o atraso da votação e com a falta de quorum. Portanto, ele pediu vista da ação em debate.Identidade civilEm outro julgamento realizado em maio deste ano pelo STF garantiu a mudança de sexo na identidade civil, o "RG", sem necessidade de cirurgia.Pela decisão do tribunal, os órgãos responsáveis pelo cadastro civil também estão proibidos de incluírem, ainda que de forma sigilosa, a expressão "transexual", o sexo biológico ou os motivos das alterações nos registros.Apesar de não obrigar os demais tribunais a decidirem da mesma maneira, a decisão do STF serve de referência para casos semelhantes.LEIA MAIS:Paola Carosella vai ministrar curso de gastronomia para pessoas trans em SPQuem é Michelle Suaréz, eleita a 1ª senadora transexual do Uruguai e da América Latina

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

*Esta publicação é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.LEIA MAIS:- Por que a sobremesa vem por último?- Você precisa mentir para sobreviver?

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

Há uma metáfora famosa que diz que uma palha a mais que seja pode quebrar as costas de um camelo: o animal só pode carregar um tanto e nenhuma palha além. Cada fim de semana, aqueles que acompanham as notícias se perguntam se o tsunami de eventos absurdos da semana seguinte não vai representar essa palha que afunda o camelo.Este gringo entende as investigações de corrupção brasileiras em curso e a corrida eleitoral como reconfortantes em relação ao resto do mundo, que parece cada vez mais desenfreado, irracional, imprevisível e perigosamente caótico. Um dos meus professores, no passado, escreveu perfeitamente que não há nenhuma ordem que valha a pena ter "o que não convida, para a sua vida, a oferta constante e aleatória de novas desordens". Isso certamente é verdade, mas, ei: assim já é demais!No início do mês, nos Estados Unidos, representantes legais do nosso triunvirato de deuses digitais - Google, Facebook e Twitter - vestidos, de forma incomum, com roupas de negócios conservadoras - a antítese do jeans e do modo de t-shirt do Vale do Silício - foram testemunhar frente aos comitês do Congresso dos EUA.Os congressistas queriam saber o que suas empresas haviam feito (ou não conseguiram fazer) para evitar que a máquina de propaganda russa (popularmente chamada de "fábrica de trolls") usasse suas plataformas de redes sociais para influenciar as últimas eleições dos Estados Unidos e abafar as chamas da discórdia racial e econômica que está viva em todo o país.A Wired informou que o Facebook sozinho reconheceu que 470 perfis criadas pelos russos "criaram coletivamente 80.000 artigos que podem ter sido compartilhados, tanto organicamente quanto através de anúncios, por 126 milhões de pessoas".Esta é apenas a ponta de um iceberg gigante que tem dimensões totalmente desconhecidas em todo o mundo. Escrevendo no Guardian, Natalie Nougayrède comentou:"Não se trata apenas de Trump e se sua campanha se entrelaçou com o Kremlin. É sobre como as grandes e não governadas áreas do ciberespaço são a nova arena onde os poderes autoritários e democracias estarão iniciando, cada vez mais, uma batalha para a qual estes não estão suficientemente preparados. A lei das da selva domina nas mídias sociais."Domar a selva nunca foi fácil. O Congresso dos Estados Unidos está compreensivelmente perguntando a essas empresas o que elas podem fazer para censurar de forma eficaz a internet, tanto como uma contradição com a ideia de liberdade na internet, como os ternos e gravatas dos executivos que testemunhavam.A pergunta óbvia: quem irá decidir o que pode passar pela internet e o que não pode? Colocando a máquina da "fake news" russa de lado, a grande questão é: qual Big Brother terá o poder de decidir o que podemos dizer em nossas postagens, o que é "falso" e o que não é?Um dos aspectos assustadores da tecnologia é a dificuldade em conter o monstro uma vez que já está lá fora. Mesmo usando a inteligência artificial mais sofisticada disponível, imagine a incumbência de decidir qual das 60 bilhões de mensagens diárias no Facebook não atendem a algum padrão de verdade e consentimento. Será um "discurso de ódio" que deve ser impedido? Será que a minha postagem "eu odeio couves-de-bruxelas" será considerada um discurso de ódio por algum algoritmo onisciente, que tem uma inclinação vegetariana?Escrevendo para o New York Times, Emily Parker propõe: "o verdadeiro problema é que os americanos não têm um senso compartilhado de realidade". Talvez um problema maior seja que, neste mundo cada vez mais rápido, nenhum de nós tenha. O que levanta a angustiante questão: em um mundo onde não existe um senso comum de realidade, o que é e o que não é um discurso aceitável?Empresas de mídia, juntamente com as agências públicas ou governamentais geralmente bem-intencionadas exigem requisitos mínimos de idade em materiais que eles acreditam ser inadequados para os mais jovens. Mesmo que isso possa ser aplicado, é totalmente arbitrário.Me lembro de um neto entrar na sala enquanto a televisão exibia uma cena altamente erótica em um filme e sua avó tentando protegê-lo de vê-la. Divertidamente, esse garoto de nove anos sorriu e disse: "sabe vó, eu sei muito mais do que você acha que eu sei".E quanto à mentira? Se a internet tratasse apenas a "verdade", isso eliminaria imediatamente grande parte da cobertura política e comentários. Donald Trump é um mentiroso em série com tanta intensidade que o NY Times agora publica uma lista de suas mentiras corrigidas com a verdade fornecida por agências de fact checking.Infelizmente, a mentira absoluta agora está virando prática comum. Uma grande porcentagem de pessoas não acredita no que leem nas notícias. Com toda essa confusão, notícias falsas e mentiras, não sabem em quem acreditar. Onde devemos encontrar uma bússola moral? Como podemos separar o "certo" do "errado", "verdadeiro" do "falso"?Recentemente, aprendemos que algumas de nossas celebridades mais conhecidas são predadores sexuais, que indústrias inteiras estão infectadas com uma cultura de assédio. Com uma mitigação esperançosa de seu comportamento ultrajante, o produtor de filmes Harvey Weinstein disse: "Eu virei adulto nos anos 60 e 70, quando todas as regras sobre comportamento e locais de trabalho eram diferentes. Essa era a cultura então".Se era ou não, depende do seu ponto de vista, mas aqui está outra área em que é difícil saber o que você pode e não pode dizer, ou fazer, com um colega.Alguns anos atrás, aqui em São Paulo, guiando uma executiva sênior da IBM nos Estados Unidos para o seu carro, apareceu minha assistente, uma mulher atraente, que voltava das férias. Com um grande sorriso, ela veio até nós, foi apresentada, me deu um beijo na bochecha e continuou sua jornada. Obviamente surpreendida, a executiva da IBM disse: "se você trabalhasse na IBM nos EUA, você teria sido demitido na hora por isso".Não parecia ser nem hora nem o lugar para explicar que a vida no Brasil era maravilhosamente menos formal e o ato que ela tinha testemunhado era tão comum quanto dizer "tenha um bom-dia". Eu notei que fiquei extremamente feliz por não ter trabalhado para a IBM ou nos EUA.Quantas palhas a mais pode o camelo carregar antes que suas costas estejam quebradas e nós tenhamos ainda mais caos?*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.LEIA MAIS:GringoView: Doce RotulagemGringoView: O sensacional 'Cirkopolis', sucesso da temporada de dança do Teatro AlfaA corrupção virou norma?

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

Por Marina Grossi*A missão do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), instituição que presido, é a de promover e viabilizar a efetivação de uma agenda propositiva que permita a reorganização das atividades econômicas. Os parâmetros dessa reorganização são os três pilares em que se assenta o moderno conceito de desenvolvimento sustentável.Na prática, isso significa construir uma abordagem que envolva os elementos sociais, econômicos e ambientais, sem o que, promove-se uma visão mutilada e reducionista da realidade.Sabemos que o setor empresarial está sendo chamado a desempenhar um papel mais amplo na construção das soluções que farão um futuro mais sustentável. As empresas são, cada vez mais, indutoras e local privilegiado de geração da inovação e das transformações sociais. Sua atuação tem o poder de afetar uma infinidade de aspectos da vida cotidiana. Suas responsabilidades têm de estar à altura dessa posição.Foi buscando cumprir as exigências desse papel que realizamos, em conjunto com a ApexBrasil e o Itamaraty, o I Biofuture Summit, no fim de outubro, em São Paulo. Estiveram presentes e formaram comigo a mesa de abertura o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira Filho; o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; o presidente da APEX, Embaixador Roberto Jaguaribe; além de representantes internacionais, como Paul Simons, diretor da Agência Internacional de Energia.Com o objetivo de discutir as bases e metas futuras da utilização em larga escala dos biocombustíveis, o evento uniu duas iniciativas globais: a primeira conferência da Plataforma para o Biofuturo e o roadshow do below50.Capitaneado pelo World Business Council for Sustainable Development, o below50 é liderado pelo CEBDS na América do Sul, em parceria com a ABBI, Abiogás, Ubrabio e Unica. Trata-se de uma colaboração de nível mundial visando alavancar o uso e produção de combustíveis renováveis capazes de emitir, no mínimo, 50% menos CO2 do que os combustíveis fósseis.Estamos construindo as condições para aumentar o número de empresas que optem pelos parâmetros below50, criando oportunidades de negócios e empregos relacionados com esses combustíveis e demonstrando sua viabilidade econômica. O objetivo é a superação de barreiras legislativas e financeiras que possam estar dificultando o sucesso dessas iniciativas.Discutimos como as vantagens naturais do Brasil podem se transformar em vantagens competitivas se soubermos como nos apropriar das biotecnologias. Neste terreno, temos condições de figurar na vanguarda mundial da inovação, conectados aos novos parâmetros de produção definidos pela 4ª Revolução Industrial.O Biofuture envolveu lideranças de 26 países e teve como um de seus destaques o RenovaBio, programa do governo federal que proverá o suporte legislativo necessário para o avanço dos biocombustíveis no Brasil.No Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social – o Conselhão -, tenho defendido que a retomada do desenvolvimento econômico, apontada pelos indicadores de empregabilidade e produção, e pelos avanços no ajuste das contas públicas, pode se dar em moldes mais sustentáveis. Incorporando modelos mais consoantes com as bases de uma economia de baixo carbono, tanto no plano concreto da produção quanto nos mecanismos financeiros envolvidos.Além da óbvia necessidade, amplamente confirmada pela ciência, de enfrentamento às mudanças climáticas, está cada vez mais evidente que implementar a agenda do desenvolvimento sustentável hoje é um fator de alta relevância na definição de quem irá liderar a geopolítica e a economia no futuro próximo.Caso não aposte nessa agenda, o Brasil corre o risco de perder a oportunidade única de se tornar o principal ator global na transição para a economia de baixo carbono. O caminho a seguir deve ser o de multiplicar os esforços em pesquisa, tecnologia, inovação, financiamento, diplomacia e políticas públicas de fomento às soluções de baixo carbono.E o tempo urge! A hora de construir o futuro que queremos é agora.*Marina Grossi é presidente do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS)*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.LEIA MAIS:Validação do CAR: realidade e desafiosDesmatamento zero ou desmatamento ilegal zero: Uma falsa dicotomia

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

Um soldado.E está com você para o que der e vier.Quando 450 deputados votaram pela cassação do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) encabeçou a lista dos dez deputados que esteveram ao lado do peemedebista.Mesmo com Cunha preso, quando todos pareciam tê-lo abandonado, Marun estava lá. Usou, inclusive, dinheiro da Câmara para visitar o amigo na prisão.Na primeira denúncia contra Temer, quem esteve lá para defendê-lo com unhas e dentes? Marun.E na segunda, quem fez até dancinha?Quem sempre está pronto para defender o governo do PMDB? Pode ser na reforma da previdência.Ou na CPMI da JBS.Ele é o testa de ferro do Temer.Este é Carlos Marun. O futuro ministro da Secretaria de Governo de Temer. Um homem de 1,89 m de altura, com voz grossa, assertiva e de temperamento explosivo.A nomeação de Marun é uma das cartas do presidente joga para tentar salvar a reforma da previdência.O deputado foi escolhido pela bancada do PMDB da Câmara. Mas nem todos os peemedebistas estão satisfeitos. Olha esse Renan: O Eduardo Cunha montou esse governo e segue dando as cartas, mesmo da cadeia. Essa nomeação do Carlos Marun é um absurdo! O Temer poderia ter sido mais corajoso, tirado o intermediário e nomeado diretamente o próprio Cunha para a Secretaria de Governo. — Renan Calheiros (@renancalheiros) November 22, 2017Em contrapartida à nomeação de Marun, há a promessa de fidelidade na votação da reforma.Mas o peemedebista, ao menos no governo de Dilma Rousseff, não gostava desse negócio de trocar cargo por voto.http://t.co/1rvv8Eil9X Marun e mais 21 deputados do PMDB assinam manifesto contra a indicação de ministérios — Deputado Marun (@deputadomarun) October 5, 2015Nosso posicionamento em plenário não dependerá desse tipo de barganha por cargos.O desejo de parte da bancada era emplacar Marun no Ministério das Cidades, pasta que cuida de programas como o Minha Casa, Minha Vida e que foi entregue a Alexandre Baldy (o menino de outro de Cachoeira).Pesou contra o soldado de Cunha o fato de ser investigado por improbidade administrativa justamente quando era presidente da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab). Ele é acusado, com outros 13 réus, de desviar R$ 16,6 milhões da agência.A favor de Marun, entretanto, conta o fato de que ele prometeu não se candidatar em 2018. Ou seja, não precisará deixar o governo em abril.Marun deveria ter tomado posse nesta quarta-feira (22), mas o governo Temer aguarda resposta do senador Aécio Neves (PSDB-MG) sobre a entrega dos cargos que estão sob comando dos tucanos. Atualmente, a pasta está nas mãos de Antônio Imbassahy.LEIA MAIS:CPI do Cachoeira e outras polêmicas de Alexandre Baldy, o novo ministro das Cidades Temer diz que brasileiro tem tendendência ao autoritarismo

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

Uma pesquisa divulgada recentemente confirma que o astro pop Bruno Mars é mesmo alienígena. Isto explica sua capacidade supra-humana de produzir tanto - sem perder em qualidade - além de ser uma máquina de fazer dinheiro.Neste mês, em turnê pela América Latina, o artista faz shows no Rio de Janeiro e em São Paulo. E continua provando que "se misturar" é sempre o melhor negócio.Em 1985, foi feita uma fusão de cromossomos de sua mãe - a filipina Bernadette - e de seu pai - o portorriquenho Pete - a fragmentos de DNA artístico de Michael Jackson (1958-2009) e Stevie Wonder. Após enviar o embrião ao planeta Marte (Mars em inglês), o cruzamento genético deu origem em 8 de outubro daquele ano, no Havaí, a Peter Gene Hernandez.Mais tarde, viria a ser conhecido mundialmente por Bruno Mars, ou seja, o "Moreno de Marte".Legítimo representante da Geração Y, não se contenta em desempenhar papel único. Canta, dança, produz, compõe. E transita habilmente pelo pop, rap, r&b e rap. Faz o público dançar alucinadamente nas batidas musicais que cria. Mas também sabe fazer escancarar a "sofrência" de corações apaixonados em suas canções mais românticas.Pela segunda vez no Brasil, traz a turnê do seu mais recente álbum 24K Magic (2016). A setlist é relativamente curta e tem 15 canções + bis. Quem compareceu ao show da Praça da Apoteose garante que são eletrizantes 90 minutos. Sem deixar de fora o hit When I Was Your Man, faixa que fez parte de trilha sonora de novela das nove.Com aquele sorrisão de quem tem em casa cinco estatuetas do Grammy, Mars alcançou o alto escalão da música pop com apenas três álbuns gravados em estúdio. Tornou-se um queridinho entre outros astros e estrelas com quem assina criações e até conduziu apresentações no icônico intervalo do campeonato Super Bowl.Aos 32 anos, longe dos escândalos típicos de celebridades e visivelmente focado em produzir pop de boa qualidade, Mars - do alto de seus 1,65m de altura - prova que tamanho nunca foi documento. No entanto, dedicação e muita ralação podem fazer de um visionário que não admite seguir padrões lotar o Morumbi, pois o estádio na zona sul paulistana está preparado para receber, em cada uma das duas noites, mais de 40 mil fãs.BRUNO MARS - 24K MAGIC WORLD TOUR (SÃO PAULO) 22* e 23 de novembro Estádio do Morumbi (Praça Roberto Gomes Pedrosa, 1, Morumbi) 21h45, com abertura dos portões às 16h e show da banda DNCE às 20h30 14 anos R$ 240 a R$ 680 a venda somente pela Livepass.com.br *Ingressos esgotados*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.LEIA MAIS:Suor e solidariedade marcam competição por vaga no BolshoiProgramação Queer da Bienal Sesc de Dança movimenta Campinas

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

Uma funcionária de um hospital na Inglaterra compartilhou uma ideia genial para ajudar crianças com câncer a sentirem-se menos solitárias enquanto estão fazendo radioterapia.Lobke Marsden, mãe de três crianças e especialista em radioterapia, postou uma foto em seu Twitter de um carretel com uma "linha mágica" multicolorida."As crianças estarão sozinhas na sala de tratamento durante a radioterapia", explica Marsden."Para ajudar na ansiedade da separação, as crianças seguram um lado da corda e os pais seguram o outro lado, dessa forma eles estarão conectados""Simples, mas eficaz."✨"Magic String"✨ Children will be in the treatment room by themselves during #radiotherapy To help ease separation anxiety the child holds one side of the string and the parent the other side, so they've still got that connection. Simple but effective 😊#ChildhoodCancerpic.twitter.com/saaJoaUfxC — Lobke Marsden (@lobke_marsden) November 15, 2017(As crianças estarão sozinhas na sala de tratamento durante a #radioterapiaPara ajudar na ansiedade da separação, as crianças seguram um lado da corda e os pais seguram o outro lado, e eles continuam conectados.Simples, mas eficaz 😊#ChildhoodCancer)Marsden trabalha no departamento de radioterapia, na área de Bexley Wing, que fica no hospital St James. O St James faz parte do grupo Leeds Children's Hospital NHS Trust. A funcionária contou ao HuffPost UK que sempre utiliza essa técnica."Como você pode imaginar, a radioterapia é assustadora em qualquer idade - os pacientes são deixados sozinhos em um quarto, usando uma máscara acoplada à cama de tratamento, para mantê-los imóveis durante a sessão", diz ela."A maioria das crianças estão acostumadas a serem examinadas nos quartos com seus pais, mas infelizmente para nós (por causa da radiação) isto não é uma opção.""A separação dos pais pode ser um enorme desafio.""A corda é perfeita para crianças que realmente precisam dessa conexão com seus pais. Elas normalmente dão uma leve puxada na corda, e os pais puxam de volta do outro quarto, para garantir às crianças que eles estão junto deles."Marsden explicou que ela e sua equipe aprenderam sobre a técnica da corda mágica há 10 anos e têm utilizado desde então."É o melhor equipamento e o mais barato que nós temos", disse ela.Marsden tem trabalhando como especialista em brincadeiras desde 2004.Os especialistas em brincadeiras trabalham com crianças e jovens que estão internados ou passando por tratamento médico.Eles usam brincadeiras como uma ferramenta terapêutica para ajudar as crianças a entenderem suas doenças e tratamentos."A parte mais importante do meu trabalho é tornar a experiência no hospital menos assustadora e ser a "voz" das crianças", explica Marsden."A preparação é muito importante. Elimina o medo do desconhecido e dá às crianças uma sensação de controle."*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.LEIA MAIS:Ed Sheeran realizou o sonho dessa fã ao visitá-la no hospitalEste pai emocionou a todos ao buscar um copo para 'salvar' o seu filho autista

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

O registro ou divulgação, não autorizada, de cenas da intimidade sexual de uma pessoa, a chamada "vingança pornográfica", será crime punível com reclusão de dois a quatro anos, mais multa. É o que determina o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 18/2017, aprovado nesta quarta-feira (22) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e que segue em regime de urgência para o Plenário.A proposta altera a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) e o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/1940). Originalmente ela estabelecia pena de reclusão de três meses a um ano, mais multa, pela exposição da intimidade sexual de alguém por vídeo ou qualquer outro meio. O texto alternativo [substitutivo] apresentado pela senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) ampliou essa pena de reclusão para dois a quatro anos, mais multa.Rose Leonel, cidadã paranaense vítima de vingança pornográfica e que inspirou a apresentação da proposta pelo deputado João Arruda (PMDB-PR), acompanhou a votação na CCJ.— Quero registrar ainda que já tivemos inúmeros suicídios, principalmente de adolescentes, vítimas de exposição de fotos nas redes sociais — declarou Gleisi Hoffman.A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) lembrou que a violência tem trazido muitas notícias ruins pelo Brasil afora e que é preciso fortalecer a mulher, dar-lhe poder. Ela citou a campanha "16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher" e comemorou a aprovação do texto.— Nada mais justo do que aprovar agora um projeto de tamanha importância e impacto perante a sociedade — afirmou.ReformulaçãoEm seu substitutivo, Gleisi reformulou o novo dispositivo sugerido pelo PLC 18/2017 ao Código Penal. Assim, o tipo penal proposto passou a ser a "divulgação não autorizada da intimidade sexual", com pena ampliada e novas circunstâncias para seu aumento de um terço à metade. Também seria enquadrado aí quem permitir ou facilitar, por qualquer meio, o acesso de pessoa não autorizada a acessar esse tipo de conteúdo.Mais quatro possibilidades para aumento de pena foram acrescidas pela relatora na CCJ: prática do crime contra pessoa incapaz de oferecer resistência ou sem discernimento apropriado; com violência contra a mulher; por funcionário público no exercício de suas funções ou por quem teve acesso a conteúdo do material no exercício profissional e que deveria mantê-lo em segredo. A princípio, o projeto só previa essa ampliação caso o crime fosse praticado por motivo torpe ou contra pessoa com deficiência.Sugestão do senador Roberto Rocha (PSDB-MA) também inspirou a inserção de outra novidade no Código Penal pela relatora: o tipo penal "registro não autorizado da intimidade sexual". O crime em questão caracteriza-se por "produzir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, conteúdo com cena de nudez ou ato sexual ou libidinoso de caráter íntimo e privado, sem autorização de participante".A pena sugerida é de seis meses a um ano de detenção, mais multa. Punição idêntica será aplicada a quem realizar montagem em fotografia, vídeo, áudio ou qualquer outro tipo de registro, para incluir pessoa em cena de nudez ou ato sexual ou libidinoso de caráter íntimo.Gleisi também sugeriu alteração no Código Penal para que, nos crimes relativos à exposição da intimidade sexual, a ação penal seja pública e condicionada à representação. A relatora promoveu ajustes na redação de um dos dispositivos da Lei Maria da Penha para estipular a violação da intimidade como uma das formas de violência doméstica e familiar contra a mulher."A legislação brasileira ressente-se de instrumentos adequados e eficientes para prevenir e punir atos de 'vingança pornográfica', que consistem na divulgação de cenas privadas de nudez, violência ou sexo nos meios de comunicação, em especial nas mídias sociais, para causar constrangimento, humilhar, chantagear ou provocar o isolamento social da vítima. A principal vítima da 'vingança pornográfica' é a mulher, enquanto que os responsáveis por esse tipo de conduta, na maioria das vezes, são os ex-cônjuges, ex-parceiros e até ex-namorados das vítimas. Assim, não há dúvidas de que se trata de mais uma forma de violência praticada contra a mulher", reconheceu Gleisi no parecer.LEIA MAIS:Família pede justiça para italiana que teve vídeo íntimo vazadoHunter Moore, o 'rei do pornô de vingança', é condenado a 2 dois anos e meio de prisão. Mas merecia muito mais

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

Políticos e autoridades podem perder o foro privilegiado em processos judiciais. Esta foi a decisão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados em votação na manhã desta quarta-feira (22).O texto da proposta de emenda à Constituição foi discutido na Câmara e prevê a "extinção do foro especial por prerrogativa de função" em casos de crimes comuns. A PEC 333/2017, aprovada pelo Senado em maio, no entanto, mantém o foro apenas para os chefes dos três poderes da União (Executivo, Legislativo e Judiciário).Após a aprovação na CCJ, a PEC segue para uma comissão especial, onde terá o prazo de 40 sessões plenárias para ser discutida. Na etapa seguinte, o texto vai para o plenário da Câmara, onde precisa de 308 votos, em dois turnos, para ser aprovado.É na comissão especial que a discussão sobre o foro para ex-presidentes deve acontecer. "É uma blindagem. Como essa Câmara é corporativista tudo é possível, mas nós vamos trabalhar contra", afirmou o deputado Júlio Delgado (PSB-MG).Caso os ex-presidentes sejam beneficiados, a medida protege o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado em primeira instância por corrupção e lavagem de dinheiro, e manter a proteção ao presidente Michel Temer, investigado na Operação Lava Jato.Foro privilegiadoDe modo geral, o foro privilegiado é a prerrogativa de ser julgado por um tribunal diferente ao de primeira instância, responsável pelos casos de cidadãos comuns. No Brasil, a extensão do benefício vai do presidente da República até comandante da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, chefe da Polícia Civil e vereadores.São 54.990 brasileiros com direito à prerrogativa, sendo 38.431 por determinação da Constituição Federal e 16.559 previstos pelas constituições estaduais, de acordo com a pesquisa Foro, prerrogativa e privilégio: Quais e quantas autoridades têm foro no Brasil?, dos consultores legislativos do Senado João Trindade Cavalcante Filho e Frederico Retes Lima.De acordo com a Constituição Federal de 1988, cabe ao Supremo julgar o presidente da República, ministros de Estado, senadores e deputados federais. Governadores são atribuição do STJ (Superior Tribunal de Justiça).No caso dos prefeitos, o Decreto-Lei nº 201, de 27 de fevereiro de 1967, prevê julgamento dos crimes comuns pelo Tribunal de Justiça estadual e dos crimes de responsabilidade pela Câmara Municipal. Quem trata de crimes eleitorais ou de competência da Justiça Federal são, respectivamente, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e o Tribunal Regional Federal com jurisdição sobre aquele Município.Para deputados estaduais e distritais, o entendimento mais comum é o de que, por simetria, o julgamento desses parlamentares cabe ao Tribunal de Justiça. Quanto aos vereadores, não houve concessão de foro especial pela Constituição, mas há previsão em alguns estados, por normas locais.SupremoO tema também está em análise no Supremo Tribunal Federal e o julgamento será retomado nesta quinta-feira (23). O relator da ação, ministro Luís Roberto Barroso, defende a restrição do foro apenas para crimes cometidos durante o exercício do mandato e se estiver relacionada com as funções desempenhadas no cargo.De acordo com dados da Secretaria de Gestão Estratégica do STF citados por Barroso, atualmente, 37 mil autoridades gozam de foro privilegiado e casos de mais de 800 agentes com prerrogativa de foro, como o presidente da República, o vice-presidente, os 513 deputados e os 81 senadores devem ser julgados pelo STF.Levantamento feito pela assessoria de imprensa do Supremo mostra que, atualmente, há 540 inquéritos e ações penais em tramitação na Corte envolvendo pessoas com foro. Barroso citou ainda que, se a sua tese prevalecer, o Supremo ficaria com apenas 10% dos processos que tem atualmente, de acordo com estudo da FGV.ImpunidadeComo cabe ao Supremo julgar parlamentares, a ideia de foro privilegiado é associada, por parte da população com a noção de impunidade. O discurso também é adotado por nomes à frente da Operação Lava Jato, como o juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol.De acordo com dados do Supremo em Números, da Fundação Getulio Vargas (FGV), apenas 0,78% das 515 as decisões em ações penais no Supremo foram favoráveis à acusação. Em comparação, 14% das decisões foram favoráveis à defesa.Não há, contudo, consenso quanto à questão. Defensores do foro argumentam que a distribuição em outras instâncias poderia atrasar o processo porque há a possibilidade de recorrer à instância superior.LEIA MAIS:Câmara articula foro privilegiado para Temer e LulaMinistro indicado por Temer interrompe julgamento sobre fim do foro privilegiado

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

O PPS aumenta cada vez mais a pressão para ter Luciano Huck como candidato à Presidência da República em 2018. A nova movimentação do partido para aliciar o apresentador é incorporar o movimento Agora!, grupo de ativistas, acadêmicos e artistas que busca promover debate e renovação política.Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, desta quarta-feira (22), a proposta do deputado Roberto Freire, presidente nacional do partido, é ainda mais ousada: mudar o nome do PPS para Agora!. Para isso, ele espera apenas uma resposta de Huck quanto à candidatura presidencial.Um eventual apoio a Huck já causou racha no grupo. Alê Youssef, um de seus fundadores, anunciou em grupo do WhatsApp que está deixando o movimento.Segundo reportagem da Folha, ele ficou incomodado ao perceber que se tornou "sem querer e sem saber, um dos apoiadores e articuladores da candidatura de Luciano Huck no imaginário de quem acompanha a questão".Em outro trecho da mensagem de Youssef, publicada pela Folha, há críticas à falta de debate e de transparência do Agora!. "[O apoio é] uma decisão muito séria e que deveria ser exaustivamente debatida de forma ampla e transparente por todos os membros." O nome de Youssef não consta na página de membros no site oficial do movimento.O Agora! não se manifestou publicamente sobre apoiar candidaturas para 2018. Oficialmente também, Luciano Huck ainda não é candidato, apesar de declarar que "quer e vai participar da renovação política no Brasil".LEIA MAIS:Luciano Huck é o plano B de FHC para a Presidência, diz colunistaLuciano Huck empata com Doria e Alckmin, diz Ibope

  • huffpostbrasil.com
  • 2 days ago

A Unicamp (Universidade de Campinas) adotará um sistema de cotas para pretos e pardos e criará um vestibular indígena. A decisão histórica foi aprovada na última terça-feira (21) pelo Conselho Universitário (Consu) da universidade. As medidas serão aplicadas a partir de 2019 e foram divulgadas no site da universidade. O sistema de cotas étnico-raciais reservará 25% das vagas disponíveis da universidade para candidatos autodeclarados pretos e pardos. Destas vagas, 15% deverão ser preenchidas por quem optar pelas cotas no vestibular tradicional da Unicamp e outras 10% vão para candidatos que optaram pelo Enem e se autodeclararam pretos e pardos.Já o vestibular indígena será facultativo nos primeiros dois anos após a implementação e tem como objetivo oferecer duas vagas em cada um dos primeiros 16 cursos ofertados. Ao total, 32 vagas nas graduações da Unicamp estarão abertas aos estudantes indígenas. Além das cotas e do vestibular indígena, o Consu aprovou mudanças em seu programa de inclusão social. Agora, haverá uma concessão de bonificação adicional (20 pontos na primeira e segunda fase do vestibular) para candidatos que cursarem o ensino fundamental II em escola pública. No sistema atual, apenas candidatos que realizaram o ensino médio em escola pública tem direito à pontuação extra. Com a reformulação, estudantes poderão entrar na Unicamp por meio do vestibular tradicional, que será responsável por 80% das vagas, ou pela nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que deve beneficiar 20% dos estudantes. O objetivo das mudanças, segundo o reitor Marcelo Knobel, é fazer com que "a sociedade se veja representada na instituição". "Daremos início a uma nova etapa, que incluirá a criação da Secretaria de Ações Afirmativas, Diversidade e Equidade, instância que cuidará de questões como acompanhamento e permanência estudantil", disse o reitor. LEIA MAIS:USP perde a majestade, e Unicamp é a melhor universidade da América Latina Reitores de universidades do RJ dizem que não há condição de iniciar 2° semestre